O sumiço da tama’n chaabui, a coroa real do Reino de Ryukyu

Tama'n chaabui, a coroa perdida

  Tama’n chaabui, a coroa perdida

Dia desses estive lendo um dos capítulos de “Okinawan Diaspora”, livro organizado por Robert Nakazone já comentado há algum tempo atrás neste blog. O capítulo, escrito pelo organizador, faz uma breve reflexão sobre a história, memória e identidade do okinawano e, entre outras coisas, fala sobre o curioso caso do sumiço da tama’n chaabui.

Para quem não sabe (eu não fazia a menor idéia), o tama’n chaabui  (tama mi kabuiri ou hibikan, em japonês) é a coroa real do antigo reino de Ryukyu (como se chamava Okinawa antes de ser anexada pelo Japão em 1879), símbolo de sua soberania política. Feita com doze tiras de tecido preto, bandas de ouro e 266 pérolas multicoloridas, além de outras pedras preciosas, a coroa foi um presente do Imperador chinês Ming Xuande em 1427 para o rei de Ryukyu. Como se sabe, Ryukyu mantinha laços estreitos com a China até ser anexada pelo Japão em 1879.

Seu desaparecimento nunca foi solucionado. O último sobrevivente a ver a coroa antes de seu sumiço foi Bokei Maehira, hoje com 89 anos, quando ajudava os outros mordomos do Palácio Shuri a escondê-la durante a invasão das forças americanas, durante a Batalha de Okinawa,  no final da II Guerra Mundial.

Maehira contou ao jornal New York Times em 1997 que a coroa foi escondida junto com um conjunto de antigos livros sagrados chamado de O-Moro soshi, além de outros tesouros do Antigo Reino de Ryukyu. O O-Moro Soshi é uma compilação de poemas antigos que datam do século 12 e preserva as primeiras aspirações e memórias do povo okinawano. Roubado durante a Batalha de Okinawa, foi devolvido ao povo okinawano em 1953, depois de ter sido encontrado na casa do comandante norte-americano Carl Sternfelt em Scituate, Massachussets.

Também outros tesouros como o Chuzan-seikan, Chuzan seifu, Konken-shu, kugani ufu’n chanjasi, três tama kawara, além de 60 tábuas com os nomes dos reis de Ryukyu escritas em outro foram encontrados e devolvidos na mesma situação. Mas a coroa nunca apareceu.

Victor Kanashiro

Tags: ,

Uma resposta to “O sumiço da tama’n chaabui, a coroa real do Reino de Ryukyu”

  1. Beatriz Nagahama Says:

    Achei super interessante este artigo. Gosto de história antiga em geral, mas claro que a de Okinawa sempre toca mais a quem é descendente. Obrigada por compartilhar as informações.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: